quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Indução rápida - Os três apertos de mão de Elman

O falso aperto de mão é certamente uma das técnicas de indução instantânea mais impressionantes e eficazes. Provavelmente, você já viu alguém utilizando-a em algum programa de TV: o hipnotista agradece a participação do sujeito e estende a mão para cumprimenta-lo. No entanto, no momento em que o sujeito toca a mão do hipnotista, o hipnotista dá o comando “DURMA”, puxa o braço do sujeito com a mão direita, enquanto cobre os seus olhos com a mão esquerda.

            Na versão original, Elman utilizava-se de três apertos de mão antes de induzir o transe. Veja um roteiro bastante fiel à maneira como Elman realizava essa indução.

 ROTEIRO

[Após estabelecer corretamente o rapport, dê as direções, enquanto olha fixamente para os olhos do sujeito]

            Durante todo o processo, olhe diretamente para os meus olhos. Enquanto você olha para meus olhos, vou apertar sua mão três vezes. Na primeira vez, seus olhos ficarão cansados, mas não os feche ainda. Na segunda vez, eles vão ficar ainda mais cansados, ainda mais cansados e vão querer se fechar. Deixe que isso aconteça, mas não os feche ainda. Na terceira vez, vou falar a palavra DURMA, você fechará seus olhos e os manterá dessa maneira, relaxando cada vez mais e mais, sentindo-se muito bem. Apenas deixe acontecer. Vamos começar.

            [mantenha o olhar fixado nos olhos do sujeito, aperte a sua mão e diga]
           
            Um... seus olhos estão cansados, muito cansados...

            [Solte a mão do sujeito, desvie o olhar por uns instantes. É importante desviar o olhar para depois retomá-lo. Ao desviar o olhar do sujeito, você o força a prestar ainda mais atenção no momento em que o olhar voltar a ser fixado.  Aguarde uns 2 segundos,  fixe novamente o olhar nos olhos do sujeito, aperte novamente sua mão e diga]
           
            Dois... Seus olhos estão ainda mais cansados... muito cansados... e começam a piscar...

            [no momento em que o sujeito piscar, acompanhe e conduza]

            Isso... vão piscando mais e mais... mais e mais...

            [Solte a mão do sujeito e desvie novamente o seu olhar. Aguarde uns 2 segundos, aperte novamente a mão do sujeito e diga, enquanto dá o aperto de mão]
           
            Três... olhe fixamente nos meus olhos...

            [no momento exato em que o sujeito estabelecer o contato com seus olhos, diga de forma imperativa]

            DURMA.

            [no momento em que for dizer a palavra “DURMA!”, puxe de maneira rápida o braço do sujeito em sua direção. O sujeito entrará em transe imediatamente. Seu corpo tombará na direção do seu peito. Ampare-o e faça o aprofundamento hipnótico necessário]

Considerações importantes
           
            Lembre-se de ficar atento às reações fisiológicas do sujeito. Se os olhos não tiverem qualquer indicador de abertura para o transe, não puxe o braço do sujeito no terceiro aperto de mão.  Quando percebo que o sujeito está resistente ao processo, continuo a rotina normalmente. No entanto, no terceiro aperto de mão, simplesmente peço ao sujeito que feche os olhos, relaxe e já encaixo alguma indução mais lenta, como as de relaxamento progressivo ou de confusão mental. A não ser que o sujeito seja um hipnotista, ele jamais perceberá que eu desisti de uma indução rápida e parti para uma indução mais lenta.

            Na rua, já aconteceu até mesmo de o sujeito dar todos os sinais de que entraria em transe, mas não entrar imediatamente. Após puxar o braço do sujeito, eu percebi que ele tinha apenas fechado os olhos por conformidade, mas sem entrar em transe. Sem problema: dei continuidade usando uma rotina de confusão mental. O sujeito teve a impressão de que a rotina era daquele jeito mesmo e acabou entrando em transe depois. Ao trabalhar com induções rápidas é importante lembrar-se sempre disso: na maior parte das vezes, o sujeito nem imagina o que vai acontecer. Tire proveito disso e faça parecer que tudo esteja acontecendo da maneira como você programou.

Um comentário:

D. B. Cooper S disse...

Caro Alberto, meu nome é Murilo, admiro muito seu trabalho. Achei muito interessante esse método de indução rápida, mas fiquei e sempre fico com uma dúvida quanto à induções: depois que conseguimos induzir o indivíduo ao transe, o que devemos fazer posteriormente para que ele volte ao estado normal de consciência? Qual o método adequado para cessar a indução? Em quase todas as dicas não vejo essa conclusão/término do processo, e sim apenas os meios para se chegar nela. Ficarei no aguardo da resposta. Obrigado.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...