quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Ceticismo, Raios X e Telepatia!


Cansei! Cansei de ouvir sobre fotoleitura, astrologia, telepatia, ETs e diversos outros assuntos supostamente científicos. Assim, decidi criar uma nova seção no blog: ceticismo! Nessa seção, debaterei sobre diversos temas pseudocientíficos, dando uma visão crítica sobre o tema. Obviamente, convido a todos para dar sua opinião, comentando cada postagem. Antes de discorrer sobre nosso primeiro tema (telepatia), vamos compreender o que é ceticismo.


Segundo o dicionário, ceticismo é:
s. m.
1. Doutrina dos que afirmam que o homem não pode atingir a verdade absoluta.
2. Disposição para duvidar de tudo.
3. Fig. Descrença.
4. Incredulidade.


Ao deparar-se com alguma ideia completamente nova ou algum episódio que vai completamente contra o paradigma vigente, as pessoas costumam tomar uma das duas atitudes:

• Aceitar essa ideia ou fenômeno sem oferecer qualquer resistência ou crítica.
• Rejeitar completamente essa ideia ou fenômeno.

Em qual das duas você costuma se encaixar? Ambas as duas atitudes são equivocadas. A melhor atitude perante novas ideias ou fenomenos desconhecimentos é utilizar o ceticismo ativo. Veja nos exemplos abaixo como as duas atitudes, quando tomadas sem critério, podem ser desastrosas.

Invenção dos raio x

Quando Wilhelm Roetgen anunciou em 1895 ter encontrado uma misteriosa forma de energia capaz de atravessar o corpo humano e fotografar seus ossos, os cientistas, se tornaram compreensivelmente céticos. Afinal, fotografar ossos realmente fugia completamente da realidade tecnológica da época. No entanto, sem fazer qualquer tipo de perícia ou estudo, o lorde William Thomson Kelvin, presidente da sociedade real inglesa, anunciou: “o tempo mostrará que os Raio X são um boato infundado”.

Invenção do fonográfico

Nessa mesma época, Thomas Edison inventava o fonográfico (percursor do gramofone). Ao analisá-lo, um membro da Academia Francesa de Ciencias fez o seguinte relatório a seus pares: “Cavalheiros, eu examinei pessoalmente os fonográficos do Sr. Thomas Edison e descobri que se trata apenas de um ventriloquismo sofisticado”.

Kelvin e seu colega francês, devido a seu pensamento dogmático, foram céticos absolutos. Apesar de sua aparente objetividade , o cético absoluto não contribui para o pensamento científico. Ser cientista é compreender que o princípio da refutabilidade de Popper, que nos diz: que há uma condição fundamental para que qualquer hipótese tenha o estatuto de teoria científica, essa hipótese tem de ser falsificável. O importante não é definir o que é verdadeiro ou falso e sim distinguir a ciência da pseudo-ciência, sabendo muito bem que por vezes a ciência erra e a pseudo-ciênciam, por ser dogmática, sempre acerta.

Telepatia?

Há alguns anos, um grupo de parapsicólogos pensaram ter encontrado a prova definitiva da existência da telepatia. Em seus estudos, cientistas ocultavam uma carta de baralho e testavam a capacidade que indivíduos possuíam para “descobrir” qual era a carta oculta. Inacreditavelmente, alguns desses sujeitos eram capazes de obter uma média de acerto que, estatisticamente, seria impossível pelo método da tentativa e erro (o popular chute). Assim, os parapsicólogos afirmaram: “Foi telepatia”.

Felizmente, alguns cientistas dotados do ceticismo ativo quiseram verificar os dados obtidos. Ao repetirem o experimento, observaram que não os supostos telepatas não estavam lendo a mente de ninguém. Na verdade, eles estavam fazendo leitura da linguagem corporal: de alguma forma, eles descobriram qual a carta o cientistas seguravam apenas avaliando a maneira como o pesquisador os olhava.
Nesse caso, o segundo grupo de cientistas assumiu uma postura de céticos ativos.

Talvez, ao se deparar com algum estudo desse tipo, a primeira atitude seja a de rejeitá-lo completamente. No entanto, essa atitude se torna tão dogmática quando a aceitação dessas idéias sem questionamento. Assim, o cético ativo é aquele que não apenas aceita ou rejeita uma ideia nova, mas também busca o máximo de dados objetivos capazes de comprová-la ou refutá-la.

E você? O que acha sobre tudo isso? Não esqueça de deixar o seu comentário!

11 comentários:

Lucas Bezerra disse...

Telepatia existe e não é nada disso de adivinhar uma carta com o dorso para baixo, isso seria clarividência, que também existe. Telepatia não é nada mais, nada menos que comunicação entre mentes onde um transmite a mensagem e o outro capta-a. E o tempo e espaço são ilimitados. Edgard Mitchell foi treinado para se comunicar telepaticamente e quando a nave de Mitchell passava por trás da Lua e a comunicação por rádio parava de funcionar, ele se comunicava com um sensitivo por telepatia.

Anônimo disse...

Lucas... seu comentário equivale a defender que existem Smurfs verdes e smurfs azuis e o fato deles serem realmente diferentes é mais importante que o absurdo de sua própria existência!

Fico pensando, se essas coisas existem onde estão os estudos duplo cegos randomizados controlados por placebo replicados em magnitude suficiente pra sustentar tais conclusões?

Se bem que os que defendem pseudociência de forma realmente calorosa não fazem idéia do que seja um EDCRCP.

Ossos do ofício né? (Se bem que isso não é ofício...)

Pensei em algumas perguntas aqui... é possível ver a senha de uma conta de banco em um caixa eletrônico com clarividência? Sim, não, pq não? Outra coisa, se telepatia existe, pq perdemos tempo com blogs, msn, Twitter e etc? Onde fica a telepatia no cérebro? Se eu lesionar essa área, deixo de ser telepata?

Por fim, uma pergunta no tom de serieade da discussão proposta: seriam os patos (ou patas) melhores telepatas que seres humanos???

Durmam com esse barulho!

Ivan disse...

Sr Anônimo,
para se opinar a respeito de um tema tão sério como esse seria necessário analizarmos o assunto sem preconceitos e sem opinião formada. Há estudos muito sérios sobre o assunto em questão. Só pra citar alguns estudiosos de respeitabilidade: J.B.Rhine, Wulliam James, Janet, William McDougall, Sigmund Freud, C. G. Jung, Dr. John E. Coover, Dr. Hernane G. Andrade (Brasil), J.Herculano Pires (Brasil), entre outros... Como se vê não podemos fechar a questão assim tão simplesmente, e acreditar que a ciência já bateu o martelo. Leia o livro: PARAPSICOLOGIA HOJE E AMANHÃ de J. Herculano Pires.
PS: Sr Anônimo por quê não colocaste seu nome? O incógnito pode ser sinônimo de insegurança.

Vinícius Gama disse...

Entrelaçamento de ondas cerebrais, gostaria de saber se realmente funciona no aprendizado, memória, concentração, intuição, raciocínio ou é pura enrolação?

Lucas Bezerra disse...

"É possível ver a senha de uma conta de banco em um caixa eletrônico com clarividência? Sim, não, pq não?"

Não. Porque os caixas eletrônicos não contém as senhas das contas. Agora se você escrever uma senha num papel, é possível vê-la através de clarividência sem problemas.

"Outra coisa, se telepatia existe, pq perdemos tempo com blogs, msn, Twitter e etc? Onde fica a telepatia no cérebro? Se eu lesionar essa área, deixo de ser telepata?"

Porque, como dito anteriormente, é necessário treinamento para poder se comunicar por telepatia. E a telepatia não fica em uma área específica do cérebro. É comunicação entre mentes.

Anônimo disse...

Hummm Dualismo detected!
Chamem um neurocientista!

Alberto Dell'Isola disse...

Lucas e Ivan, respeito as opiniões de vocês. No entanto, a parapsicologia não é ciência por alguns motivos:

* Seus estudos não são replicáveis por meio do método científico.

* Ela parte do principio dualista de mente (descartado pela psicologia há anos). Para a comunidade científica, a mente nada mais é que uma experiência biológica.

Concordo que possam existir situações que talvez nos dar a impressão de que tais fenômenos espontâneos existam. No entanto, são fenômenos idiossincráticos e não replicáveis.

Sobre a ciência bater o martelo: a ciência nunca bate o martelo. Por isso é chamada de ciência. De acordo com o principio da falseabilidade de Popper, possuímos apenas modelos para explicar a realidade. Concordo que esses modelos ainda não são ideais. No entanto, são os melhores que dispomos.

Abraços!

Anônimo disse...

No dia que meu cunhado morreu, mesmo eu sem saber tive sonhos nítidos,mas o assunto era uma confusão e dor de cabeça, o interessante é que toda a família cunhados , irmãos teve dor de cabeça, embora morando em outra cidade. Fomos saber disso dias depois.Sou cético a tudo, só acredito quando provas contundentes tiram minhas dúvidas, se alguém puder me dizer, onde eu devo pesquisar o assunto, eu agradeço.

Anônimo disse...

Tem gente que escuta o que outros moradores no mesmo domicílio conversando entre sí através do inconsciente deles,..
e sendo percebido pelo consciente do primeiro sem que as pessoas escutadas tenham conhecimento do que ocorre conscientemente, é muito estranho!
Alguns já nascem assim, outros vem a presenciar isso depois de mais velhos,.. Depois que a coisa começa voce continua escutando a grandes distâncias.Não é fantasia, mas é patológico, não adianta querer "desenvolver" isso se não tiver! quem tem tem e se se tratar pode até se livrar.

Felipe NS disse...

KK Só a foto do Dawkins ai já resume o texto todo. Por vc se um cético confio bem mais em suas postagens sei que não vai colocar qualqur bobeira aqui sem evidências. Parabéns

Ana Noplay disse...

Muito bom!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...