domingo, 20 de julho de 2008

Meditação para concursos

Inicialmente, pode-se criar alguma resistência em alguns leitores, por crerem que tal prática tende a um certo misticismo, quando, na verdade, a meditação visa apenas a saúde mental, independente de qualquer religião que você professe.

Se você já é concurseiro de longa data, provavelmente já passou por aquele momento de haver estudado toda a matéria, e de fato sabê-la, mas, na hora do concurso, o nervosismo foi o seu maior inimigo, impedindo-o de fazer uma boa prova.


Portanto, a calma e a tranqüilidade são elementos essenciais na hora da realização de uma prova, aliado, obviamente ao estudo qualificado.

Conforme dito anteriormente, o presente estudo não visa a prática de nenhum liame religioso ou espiritual, mas um trabalho com a mente, realizado dia após dia, para se obter um melhor desenvolvimento da concentração, atenção e consciência nos momentos de pressão. Vale lembrar que as maiores mentes da humanidade faziam uso da meditação, entre eles: Jesus Cristo, Buda, Lutero, Shakespeare, Maharishi Mahesh Yogi, entre outros. Inclusive, esse último, considerado o pai da meditação transcendental, não apresentava a meditação como hindu ou indiana, mas como algo que toda a humanidade pudesse praticar sem renunciar a sua própria religião. A principal mensagem dele era a meditação como redução do estresse e preparação das pessoas para assumirem suas próprias vidas. O último desejo de Maharishi era o de conseguir um mundo ideal, no qual todos seriam felizes seguindo uma ordem natural.

Nesse sentido, abstemo-nos de cultivar qualquer prática religiosa ou mística da meditação, e, estudá-la-emos cientificamente, praticando-a em prol do sucesso nos concursos.

Mas afinal de contas, o que é meditação?

A palavra meditação vem do Latim, meditare, que significa voltar-se para o centro no sentido de desligar-se do mundo exterior e voltar a atenção para dentro de si. Em sânscrito, é chamada dhyana, obtida pelas técnicas de dharana (concentração). Consiste na prática de focar a atenção, freqüentemente formalizada em uma rotina específica. Há dados históricos comprovando que ela é tão antiga quanto a humanidade.

O foco de nossa atenção, durante toda a prática da meditação, será o concurso o qual o leitor irá se submeter.

Para que meditar?

O leitor pode estar se perguntando: se tenho tantas coisas a estudar para o concurso, para que hei de perder o meu tempo meditando, enquanto poderia estar estudando?

A resposta é simples: de nada vale todo o conhecimento técnico se não houver calma e atenção na hora da prova. Portanto, não adianta devorar livros e apostilas, se durante a prova o nervosismo toma conta de todo o ser.

Além do que, estamos sempre envoltos e sujeitos aos pequenos problemas em nosso dia a dia e quando menos esperamos surgem os grandes problemas. Ocorre que, na preparação para o concurso, os problemas pessoais – sejam eles grandes ou pequenos – não devem atrapalhar nos estudos. Não proponho que o leitor feche os olhos para os problemas que o cercam, mas que resolva os que forem possíveis de resolver, e não se deixe mergulhar nos insolucionáveis. E mais: entregar-se aos problemas traz ao inconsciente uma saturação de pensamentos deprimentes, angústias, medos, sentimentos negativos, atraindo dessa forma, manifestações perturbadoras que nos deixam em total desequilíbrio emocional. Com tudo isso, adeus concurso!

No treinamento vivencial de meditação, você entrará em contato e perceberá as sutilezas que acontecem em seu corpo físico, em sua emoção e em seus pensamentos a partir de diversos estímulos e técnicas. Haverá momentos de reflexão, questionamentos e exploração do estado meditativo, de quem você é e de como lidar com os incômodos, resistências e desafios impostos por você em seus estudos.

Dentre os benefícios da meditação, podemos citar:

• descanso físico, mental e emocional;

• aumento da capacidade de concentração;

• alívio do estresse;

• desenvolvimento da capacidade de auto-controle;

• desenvolvimento da presença e serenidade no dia-a-dia;

Por que é tão difícil meditar?

Para meditar é preciso manter um fluxo ininterrupto de atenção no foco de concentração. Em nossa vida corrida, dificilmente desvinculamo-nos de todos os nossos anseios, nossas preocupações e vicissitudes humanas. Na vida moderna, há o agravante da falta de tempo, um programa interessante na televisão, o trabalho desgastante, o incessante ritmo de estudo, o sono, entre outros fatores.

Mas por que não dispomos de alguns minutos diários para praticar algo que vai nos trazer um grande ganho qualitativo? Insta salientar que estes ganhos podem ser em várias áreas de nossa vida, mas, aqui, focamos no concurso. Logicamente, a prática da meditação pode ser utilizada para uma melhor qualidade de vida com um todo.

Outra dificuldade está na simplicidade da meditação. Sim, porque as coisas simples da vida são difíceis, visto que exigem tranqüilidade, perseverança e confiança.

Provavelmente você, nas primeiras práticas de meditação, peque em um/uns desses requisitos acima citados. Com o tempo, todavia, a praticidade levará ao aperfeiçoamento.

Como meditar?

Recolha-se em um local tranqüilo e sente-se confortavelmente.

Uma possível posição é a posição de lótus completo, em que o pé esquerdo é apoiado sobre a coxa direita e o pé direito é apoiado sobre a coxa esquerda. Há pessoas que não conseguem se sentar nessa posição, portanto, podem sentar-se de maneira japonesa, ou seja, com os joelhos dobrados e o tronco apoiado sobre ambas as pernas. Pondo alguma espécie de acolchoado sob os pés, a pessoa pode facilmente permanecer nessa posição por hora ou hora e meia.

Ocorre que, aos iniciantes, convém não ficar sentado mais do que vinte ou trinta minutos, pois, pode ser que o tempo prolongado cause alguma dor ou desconforto.

Deve-se manter as costas eretas, mas não rígida. O pescoço e a cabeça devem ficar em alinhamento com a coluna. Os olhos devem ficar semi-abertos ou fechados. Relaxe os músculos do rosto. Solte todos os músculos dos dedos, braços e pernas.

Aos poucos, desvincule-se de todo e qualquer pensamento que venha à sua mente. Você deve focalizar-se em sua tranqüilidade e paz de espírito.

Concentre-se unicamente em sua respiração, que deverá ser a respiração diafragmática. Por natureza, inspiramos pelo nariz e expiramos pela boca, utilizando os pulmões. A maioria das pessoas respira muito raso, usando somente os ombros/clavículas e a caixa das costelas para inflar e exalar. Na respiração diafragmática, o ar também entra pelo nariz e sai pela boca, porém fica uma parte de ar retida na porção inferior dos pulmões (cerca de 30%), parte esta geralmente não utilizada, pois a musculatura diafragmática os comprime, fazendo com que essa pequena área não seja aproveitada.

São inúmeros os benefícios trazidos pela respiração diafragmática, dentre os quais podemos destacar:

· A respiração diafragmática retarda o processo de queima de oxigênio, desacelerando os batimentos cardíacos e,

· o mais importante, energiza o corpo, regulariza a força vital, formando uma espécie de camada protetora, dificultando o contágio de doenças que debilitam o sistema imunológico.


A respiração com o diafragma faz com que o oxigênio que entra se concentre, energizando esse local. Posteriormente essa energia é transferida para os demais órgãos do corpo, como o cérebro, coração, intestinos etc., regularizando e equilibrando o sistema emocional humano.

Agora, comece a concentrar essa energia em cada parte de seu corpo, visualizando-a sendo banhada por uma onda de luz azul.

A cor azul tem um significado muito interessante, pois, produz segurança, compreensão, propicia saúde emocional e simboliza lealdade, confiança e tranqüilidade. Todas essas benesses são extremamente importantes na hora do concurso, portanto, utilizemo-nos do recurso da luz imaginária em cor azul.

Imagine essa luz azul percorrendo todo o seu corpo, seja aquecendo, refrescando ou formigando. Primeiramente comece pelos seus pés, sentindo os dedos, a planta dos pés, os calcanhares, tornozelos, os dorsos. Quando seus pés estiverem totalmente relaxados, suba para as pernas; nas pernas, sinta a luz passar pela panturrilha, subindo dos tornozelos até os joelhos, relaxando os músculos dessa região; a luz azul sobe pelas coxas, no sentido dos joelhos até o quadril; toda a área interna da coxa deve estar relaxada, sem contrair os músculos dessa região do seu corpo; em seguida, percorra toda a área dos quadris, nádegas e genitália; proceda da mesma forma subindo pelo abdômen, tórax e órgãos internos; quando percorrer as costas, comece pela base da coluna e suba até o pescoço, sentindo as vértebras da coluna serem invadidas por esta luz azul; percorra os braços, dos dedos das mãos aos ombros, passando pelos cotovelos, ombros, até chegar ao pescoço; sinta a luz percorrer todo o pescoço, as cordas vocais, o esôfago; ao penetrar na região da cabeça, sinta a luz subindo do queixo, passando pelo maxilar, lábios, nariz, maçãs do rosto, olhos, orelhas, pálpebras, testa até chegar no alto da cabeça.

Neste momento, todo o seu corpo deve estar inteiramente relaxado.

A respiração, insta salientar, deve continuar no ritmo diafragmático, de modo suave e contínuo.

Imagine um ponto de luz (apenas um ponto) entre suas sobrancelhas. Focalize esse ponto por alguns instantes.

Mentalize, juntamente com o ponto de luz, seu objetivo, qual seja, o de passar no concurso público.

Esse ponto de luz começa a crescer, e se transforma em uma porta; você, então, adentra a essa porta, cujo feixe de luz ofusca a visão.

Ao atravessar a porta de luz, imagine, que você está em casa, relaxado e extremamente tranqüilo e confiante; é o dia de sua prova de concurso; você já estudou o suficiente, portanto, não há preocupações a lhe atormentar; você, então, inicia uma caminhada em um local que lhe apeteça, seja uma avenida próxima à sua casa, seja um parque, uma praia, enfim, o local fica a seu critério; enquanto caminha, uma música suave toca aos seus ouvidos; enquanto caminha, pensa na beleza da vida, curte cada momento e respira o aroma da manhã; após a caminhada, você volta para casa, faz uma refeição leve e saborosa e relaxa novamente; chegada a hora de ir para o concurso, você sai de casa tranqüilo, percorrendo o caminho que o levará até o local; você está extremamente confiante; ao chegar na sala onde será o concurso, você assenta-se no seu lugar e recebe a prova; ao abrir o caderno de questões, você sabe todas as respostas de todas as questões, e começa a responde-las como se não houvesse mais ninguém na sala; todas as respostas fluem tranquilamente, e toda a sua concentração está focada nos acertos; ao terminar a prova, você é aprovado no concurso; mentalize isso por alguns instantes.

Ao levantar, você entrega o gabarito, ciente de que foi aprovado, e, ao sair pela porta da sala, percebe que é a mesma porta de luz ofuscante pela qual você adentrou nesse campo imaginário.

Aos poucos você atravessa essa luz e focaliza o ponto de luz azul no centro de suas sobrancelhas, voltando ao status quo.

O ponto de luz azul no centro da testa vai diminuindo de tamanho, aos poucos, até desaparecer por completo.

Devagar, você retoma consciência do local onde você está, de seu corpo, de sua mente, respirando profundamente, até decidir quando abrirá completamente os olhos.

Ao abrir os olhos, continue com o pensamento positivo de aprovação no concurso, ou seja, internalize esse objetivo. Mesmo quando não estiver meditando, seja confiante.

O ideal é que se pratique a meditação todos os dias, começando a prática com o maior tempo de antecedência possível anterior ao concurso. Se você deixar para meditar apenas na véspera da prova, não terá grandes ganhos no relaxamento oferecido pela meditação.

7 comentários:

Anônimo disse...

Essa meditação não acho uma boa. Acredito ser um equivoco na postagem dizer que Jesus meditava. Na bíblia sagrada não diz isso, "e Jesus meditava"... Isso é especulação. Deus é ação. Creio que é melhor ir a uma igreja cristã para perder 2h e fica realmente tranquilo consigo do que meditar 24h. Mas, seu blog é muito bom. Muito legal as dicas, fora essa.

Simone disse...

Muito boa essa dica!

Já li que os efeitos positivos da meditação já foram comprovados científicamente.

Se procurarem no google por:
meditação ciência
com certeza encontrarão muitos efeitos positivos que já estão sendo estudados.

~Ramon~ disse...

Muito obrigado por ter escrito o livro mais útil que eu já li Comprei o "SUPER MEMÓRIA para CONCURSOS" e eu e a minha mãe ficamos disputando a vez de quem vai ler! Enfim nem é muito bom eu ler essa postagem por quê eu acabei de sair do capítulo 1, "Procrastinação".

"Procrastinators will rule the world... tomorrow"

Anônimo disse...

Retira o comentário do anonimo acima, perdoai ele não sabe o que fala... não deve estudar para concurso... muito menos deve controlar e conhecer a propria mente. A fé é muito importante sim, rezar, orar, e meditar tudo sao formas de conversar com DEUS....visto que este está dentro de nós...força suprema criadora de tudo e de todos...Mas de nada adiat ir à missa, igreja, seita, reunioes, associações, se sua mente não esta ali....a mente viaja, a mente se deixar dominar pelo ego, pela matéria, pelo inexistente.....Feliz aquele que por minutos sente DEUS, sente o self, o verdadeiro, o imortal....a paz eterna, o nirvana.

Jairo Rocha Imóveis .::. Equipe Superação disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Excelente! Usar a persistencia de um verdadeiro concurseiro pra meditar eh a chave que muitos precisam pra usar de fato as potencialidades da mente pra atingir objetivos... Espero mais assuntos que relacionem a pratica com o emocional/espiritual.

DIREITO disse...

Ô anônimo da igreja cristã, na bíblia não diz que Jesus "meditava" simplesmente porque não existia esse termo naquela época... e nem também existia à epoca a letra "J", e nem porisso o nome de Jesus (YHWH)deixou de ser pronunciado como o É hoje. Eu sou Islâmico,sou cristão, sou kardecista, sou judeu, sou hindú... e aqui frequentam os nosso IRMÃOS e IRMÃS... se você não sabe o que o conceito de meditar encerra, procure saber. Ah sim, e a propósito, mesmo não compartilhando de seu dogmatismo religioso, não creio que ficar 2h CELEBRANDO AO Altíssimo (independentemente de por qual caminho se chegue a Ele) seja "perder 2h" como você mesmo citou. O que faz mal é a ignorância, conhecei-vós a verdade e terás a visão da vida eterna e a verdade ser-lhe-á apresentada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...